Descobrindo a nova face do Panamá

A transformação de uma cidade

PALAVRAS Lanny Lowe
Julho 2017
COMPARTILHAR

“Pasito a pasito, suave suavecito”, como diz a canção “Despacito”, da cantora e compositora panamenha Erika Ender, é como devemos visitar a Cidade do Panamá para dela desfrutar com plenitude.

O que até recentemente era uma capital tranquila, de perfil baixo, tornou-se uma cidade cosmopolita, com uma mistura dinâmica de países, costumes e culturas, cujo Ministro do Turismo, Gustavo Him, define como “a Miami da América Central”.

“Dez anos atrás, havia apenas um shopping e agora existem 11”, diz, observando que a oferta hoteleira pulou de 16.843 quartos em 2007 para 30.630 em 2016. Him atribui o crescimento à “sinergia entre um setor bancário forte, crescimento econômico sustentado, políticas favoráveis à empresa privada, incentivos do governo e investimento nacional e estrangeiro”.

O resultado é uma cidade transformada para seus 498 anos de existência a serem completados em 15 de agosto.

O Panamá, como país, explodiu nos últimos anos, registrando um aumento de 6,1% no Produto Interno Bruto em 2016, segundo o Banco Mundial. Sua capital, com 900.000 habitantes (1,5 milhão na área metropolitana), ilustra a prosperidade.

De duas décadas para cá, como explica o livro Estructuras en tiempos de cambio, do engenheiro César Kiamco, a skyline do Panamá mudou, à medida que incorporou modernos arranha-céus, que a transformaram numa cidade de imponente arquitetura vertical com um dos skylines mais espetaculares do mundo.

Desde a construção, em 1996, das Torres Miramar — um hotel e complexo residencial de 55 andares — a skyline só aumentou. José Manuel Bern, vice-presidente das Empresas Bern, que construíram as Torres Miramar, acredita que o crescimento também se deve à “explosão demográfica resultante da globalização do mercado imobiliário panamenho”.

As melhores fotos da skyline podem ser feitas na Cinta Costera (Faixa Costeira), sete quilômetros de vistas fotogênicas e amplas áreas de lazer. Como atração adicional, o Ministério do Turismo criou um parador fotográfico com o nome “Panamá” em grandes letras coloridas, ideal para um selfie que não deixará dúvida sobre o lugar da visita.

A primeira parte da Cinta Costera leva você ao Casco Antiguo (Cidade Velha), o centro histórico de 40 hectares declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO. Concluído em 1673, depois da destruição de Panamá Viejo (a antiga Cidade do Panamá) por piratas, mais da metade do Casco Antiguo foi restaurada nos últimos anos. Além da riqueza histórica de suas praças, monumentos e igrejas, tornou-se um lugar trendy.

“Em 20 anos, deixou de ser uma região perigosa com pouca presença de visitantes para se tornar um vibrante polo turístico, com uma variada e rica oferta cultural e artística com serviços gastronômicos e hoteleiros”, diz a arquiteta Rebeca Somoza de Burgos, diretora da Oficina del Casco Antiguo. A região recebe mais de 450.000 turistas anualmente e oferece acomodações para todos os orçamentos e mais de 100 opções de cozinha internacional.

A Cinta Costera o levará à Calzada de Amador, mais conhecida como Causeway. Você vai notar um edifício colorido, de formas sinuosas: o Biomuseu, ou Museu da Biodiversidade, projetado pelo arquiteto Frank Gehry e inaugurado em 2014. Ele tem oito galerias de exposição permanente que contam como surgiu o istmo que hoje é o Panamá, dividindo os Oceanos Atlântico e Pacífico, e lhe mostram a importância atual.

O Causeway, cuja ampliação foi inaugurada em abril deste ano, tem uma ciclovia, uma via para pedestres, parques infantis, quadras esportivas e um colorido parador fotográfico. A ampliação para quatro faixas de rodagem permite fácil acesso às lojas, mas é mais divertido percorrê-lo a pé ou em alguma das bicicletas disponíveis para alugar. De um lado você terá uma bela panorâmica da cidade e, do outro, a entrada do Canal do Panamá com os navios que esperam a vez para iniciar o trânsito pelo canal.

Entrar na ponte de comando de um navio agora é possível no recém-inaugurado simulador do Centro de Visitantes das Eclusas de Miraflores do Canal do Panamá. As imagens e sons vão transportá-lo para uma realidade virtual que fará você mergulhar nessa experiência. Você também poderá ver navios reais através do mirante das eclusas ou no novo Centro de Visitantes das Eclusas de Água Clara, na província de Colón. O Centro oferece uma vista panorâmica única da nova ampliação do canal por onde passam os gigantescos navios Neopanamax, projetados para as dimensões máximas permitidas no canal. Os mais aventureiros podem fazer um tour particular com um operador turístico especializado, como Pesantez Tours, para fazer uma travessia parcial ou total do Canal. A travessia completa de oceano a oceano dura dez horas.

O prefeito da Cidade do Panamá, José Isabel Blandón, nos explicou o ambicioso projeto de Revitalização Urbana que renova a cidade e será concluído em 2019. “Inclui novo mobiliário urbano, maior iluminação, plantação de árvores e reabilitação de três parques icônicos, incluindo-se o Parque Municipal Summit”, diz o prefeito.

Criado em 1923, como parque botânico pela antiga companhia do Canal do Panamá, o parque incorporou um zoológico nos anos 60. “Ele me traz muitas lembranças felizes da infância e ocupa um lugar especial nos corações de muitas gerações de panamenhos”, acrescenta Blandón. 

Parte da revitalização, a Via España, uma das principais artérias comerciais da cidade, já está rejuvenescida com calçadas amplas e o Metrô do Panamá, cuja primeira linha começou a operar em 2014, construída em tempo recorde de apenas três anos. Outras duas linhas estão em construção. O prefeito acrescenta que “em breve ficará pronta a Peatonal, lugar de beleza arquitetônica por seus edifícios centenários”. Ideal para passear despacito, despacito (devagarinho, devagarinho).
 

En el Casco Antiguo Recomendamos

Un refresco 

Uma refrescante paleta (picolé) de La Michoacana, enquanto admira o belo artesanato no Paseo de Las Bóvedas. 

Un coctel 

O coquetel “El Eusébio” do rooftop bar do Central Gastro Bar, enquanto aprecia a linda vista da cidade sob as belas cores do pôr-do-sol. 

Un plato

O requintado "solomillo del chef” do elegante Restaurante 9 Reinas, localizado no recém-restaurado e histórico Central Hotel Panamá.

Una dulce tentación

Um dos deliciosos sorvetes gourmet da Heladería Granclement, de tradição francesa, enquanto se continua o passeio pelas iluminadas ruas de paralelepípedos.

Una terraza 

O mojito de maracujá para terminar a noite, desfrutando de alguns dos shows ao vivo no rooftop bar do Tántalo.

Compartilhar

Mais Destinos

Guia de viagem de Ilha Curaçao

San Antonio Para Todos

A adorada Málaga de Antonio Banderas

A Fronteira Bem Misturada